Ibovespa toca 108 mil pontos na sexta e acumula alta de 2,5% na semana.

Uma trégua no ambiente internacional, sem nova escalada nos conflitos comerciais entre China e Estados Unidos, somou-se a uma renovação da confiança dos investidores no Brasil após a aprovação da reforma da Previdência para consolidar o ambiente positivo para as ações. Esse cenário garantiu que o Ibovespa tivesse a terceira semana seguida de alta, acima de 2%, enquanto, hoje, o índice tocou a inédita marca dos 108 mil pontos, com Vale e Petrobras nos destaques positivos.

O Ibovespa encerrou em alta de 0,35%, aos 107.364 pontos, que não é um novo recorde por pouco — na terça-feira, o índice tocou os 107.543 pontos. Na máxima do dia, porém, o Ibovespa rompeu novo pico histórico ao bater os 108.083 pontos. O volume financeiro, de R$ 14 bilhões, foi intenso e superou a média diária dos pregões de 2019, em R$ 12,5 bilhões.

Na semana, o Ibovespa acumulou alta de 2,52%. Com três semanas seguidas de ganhos do índice, outubro já reserva um avanço de 2,50% para o índice. No ano, a alta é de 22,16%.

Na frente internacional, a melhora de humor veio como resultado da notícia de que as negociações comerciais com a China estão avançando e que tanto o gigante asiático como os EUA estão próximas de finalizar algumas partes da primeira fase do acordo, relatou o Escritório do Representante Comercial americano (USTR, na sigla em inglês). A declaração foi emitida após conversa entre o representante comercial americano, Robert Lighthizer, o secretário americano do Tesouro, Steven Mnuchin, e o vice-primeiro-ministro da China, Liu He, que encabeça as negociações pelo lado chinês.

Já na frente doméstica, o investidor viu nesta semana a resolução final de um dos temas mais aguardados: a aprovação da reforma da Previdência. Embora amplamente precificada pelas ações, a finalização da análise do tema em segundo turno no Senado e o encaminhamento, agora, para promulgação tiram da frente riscos de desidratação e surpresas.

Com esse cenário aqui e lá fora, foi possível a diversos ativos contar com a ampliação da exposição dos investidores estrangeiros, numa frente, e continuidade do interesse dos locais, na outra. Das 68 ações que fazem parte do Ibovespa, 36 registraram ganhos na semana, embora uma pequena parte (22) tenha registrado maior rentabilidade do que o próprio índice. Entre as demais 35 que fecharam a semana no vermelho, empresas de ciclo local que já têm valorização grande no ano foram destaques, como varejistas e o setor educacional.

Os balanços trimestrais serviram para movimentar a semana mais morna em termos de indicadores econômicos. Hoje, foi dia de ganhos para duas das ações de maior peso no Ibovespa — Vale (3,87%) e Petrobras (3,28% a PN e 2,92% a ON) —, depois que ambas entregaram um desempenho favorável e bem-avaliado pelos investidores no terceiro trimestre, sobretudo em relação ao registro de eventos não-recorrentes.

Já a Ambev (-8,29%) foi o grande ponto negativo e de pressão no Ibovespa, depois do balanço trimestral mostrar uma tendência pior em termos de custos, depois de apostar em produtos sofisticados (“premium”) para enfrentar a concorrência.

 

Fonte: https://valor.globo.com/financas/noticia/2019/10/25/ibovespa-toca-108-mil-pontos-na-sexta-e-acumula-alta-de-25percent-na-semana.ghtml

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *