Dólar cai e fecha abaixo de R$ 3,90

Moeda norte-americana encerrou o dia em baixa de 0,95%, vendida a R$ 3,8873.

O dólar fechou em queda nesta segunda-feira (3), primeiro pregão do mês, com investidores monitorando avanços ligados à reforma da Previdência e o cenário externo, e voltou a ficar abaixo dos R$ 3,90.

A moeda norte-americana encerrou o dia em baixa de 0,95%, vendida a R$ 3,8873. Veja mais cotações. Na mínima, chegou a R$ 3,8834, e na máxima, a R$ 3,9332. É a menor cotação desde 15 de abril, quando a moeda fechou a R$ 3,8686.

A queda veio em linha com o comportamento das demais moedas emergentes no exterior, que reagem a declarações do presidente do Federal Reserve de St. Louis, James Bullard. O dirigente disse que um corte de juros pode vir em breve para assegurar que a inflação volte à meta nos EUA.

Cenário local

O mês de junho começa com investidores na expectativa por avanços ligados à reforma da Previdência, sob a percepção de mais tranquilidade na cena política.

“Aparentemente há um consenso agora dos Três Poderes de que é necessário fazer as reformas e aparentemente todo mundo está imbuído dessa posição agora de que teria que dar andamento para que isso possa ocorrer num tempo bom”, afirmou à Reuters o gerente de câmbio da Treviso Corretora, Reginaldo Galhardo.

O texto da reforma da Previdência encontra-se agora na comissão especial da Câmara dos Deputados, que deve apresentar seu parecer, previsto para até o dia 15. Em seguida, este parecer é votado e a matéria segue para o plenário da Casa.

“Todos os olhos estão voltados para a reforma da Previdência, com o próximo passo sendo a apresentação do relatório final na comissão especial. Apesar desse marco poder trazer sustentação ao mercado, o subsequente processo de contagem dos votos para a votação no plenário da Câmara será desafiador, e esperamos volatilidade.”, avaliaram economistas da XP Investimentos, em nota.

Agentes financeiros também voltam suas atenções para participação do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, em evento em São Paulo, que também contará com a presença do secretário especial da Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, entre outras autoridades.

O BC realiza nesta sessão leilão de até 5,05 mil swaps cambiais tradicionais, correspondentes à venda futura de dólares, para rolagem do vencimento de julho, no total de US$ 10,089 bilhões.

Cenário externo

No exterior, ainda há aversão ao risco em razão das tensões comerciais dos Estados Unidos com a China e, mais recentemente, com o México. Nesta segunda-feira, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, iniciou visita ao Reino Unido, onde também há cautela em razão da iminente escolha do próximo premiê britânico.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *